Atividade revisional sobre Modernismo – Literatura


imagem-Atividade revisional sobre Modernismo – LiteraturaEsta é uma atividade revisional sobre Modernismo que pode ser usada na elaboração de listas de exercício para alunos de Ensino Médio e Pré-vestibular. Preparar-se para provas de literatura é ainda uma ótima forma de aprender interpretação de textos porque sempre teremos textos elaborados com o uso de linguagem subjetiva, figuras de linguagem e também com outros recursos que valorizam muito a língua. Faça estes exercícios dissertativos e algumas atividades objetivas no seu preparo para o vestibular. Lembre-se sempre de que junto com o Romantismo, é o período preferido das provas como o Enem e muitos são os professores que usam em suas aulas de interpretação de textos exercícios como estes.

Lista de exercícios com gabarito

Lista de exercícios de Literatura sobre Modernismo

Instruções para elaboração dos exercícios caso use numa lista de exercícios na escola:

  • Use somente o espaço destinado às questões, salvo sob orientação do professor;
  • Escreva, obrigatoriamente, as questões com caneta, azul escura ou preta.
  • Respostas rasuradas ou incoerentes com a pergunta serão sumariamente anuladas;
  • Faça uma letra legível, pois, caso contrário, sua questão pode ser anulada.
  • A desobediência a qualquer item das instruções implica na anulação da questão.

Poética

Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente protocolo e manifestações de apreço ao Sr, diretor,
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o cunho vernáculo* de um vocábulo.  Abaixo os puristas*
Todas as palavras sobretudo os barbarismos* universais
Todas as construções sobretudo as sintaxes de exceção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis
Estou farto do lirismo namorador
Político
Raquítico
Sifilítico
De todo lirismo que capitula ao que quer que seja fora de si mesmo.
De resto não é lirismo
Será contabilidade tabela de co-senos secretário do amante exemplar com cem modelos de cartas e as diferentes maneiras de agradar às mulheres, etc,
Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbedos
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns* de Shakespeare
- Não quero mais saber do lirismo que não é libertação.

(Manuel Bandeira)

  • vernáculo: linguagem pura, carreta, genuína, sem estrangeirismos; o "cunho vernáculo de um vocábulo" é o caráter genuíno, puro de uma palavra da língua.
    puristas: aqueles excessivamente preocupados com a correção gramatical e com o vernáculo, não admitindo as várias transformações que a língua sofre em decorrência de seu caráter dinâmico. No contexto do poema, "puristas" ê uma referência a alguns escritores que dominavam o cenário literário do Brasil no Inicio do século XX, como Rui Barbosa, Coelho Neto e os poetas parnasianos.
  • barbarismos: essa palavra vem do grego e deriva do adjetivo bárbaro, que significa "o que ê estrangeiro", "grosseiro", "Inculto", "selvagem"; na gramática, barbarismo refere-se ao emprego de palavras estrangeiras e a um vício de linguagem que consiste em erro na pronúncia ou na grafia de uma palavra.
  • clowns: personagens que atuam em espetáculos circenses ou teatrais, se vestem de maneira grotesca e têm uma atuação que aproxima o trágico do cômico e do ridículo. O personagem Carlitos, criado por Charles Chaplin (1889-1977), é um típico exemplo de clown.

1. Aponte pelo menos três pontos comuns entre "Poética" e as correntes de vanguarda européias.

2. Destaque um verso no qual Manuel Bandeira defende o uso de uma linguagem mais popular, menos elitista.

Ode ao burguês

Eu insulto o burguês! O burguês-níquel, o burguês-burguês!
A digestão bem-feita de São Paulo!
O homem-curva! o homem-nádegas!
O homem que sendo francês, brasileiro, italiano, é sempre um cauteloso pouco-a-pouco!
Eu insulto as aristocracias cautelosas!
Os barões* lampiões! os condes* Joões! os duques* zurros!
que vivem dentro de muros sem pulos,
e gemem sangue de alguns mil-réis* fracos
para dizerem que as filhas da senhora falam o francês
e tocam os "Printemps"* com as unhas!
Eu insulto o burguês-funesto!
O indigesto feijão com toucinho, dono das tradições!
Fora os que algarismam os amanhãs!
Olha a vida dos nossos setembros!
Fará Sol? Choverá? Arlequinal!
Mas à chuva dos rosais o êxtase fará sempre Sol!
Morte à gordura!
Morte às adiposidades cerebrais!
Morte ao burguês-mensal! ao burguês-cinema! ao burguês-tílburi*!
Padaria Suíssa! Morte viva ao Adriano!
"-Ai, filha, que te darei pelos teus anos?
- Um colar... - Conto e quinhentos!!!
Mas nós morremos de fome!

Come! Come-te a ti mesmo, oh! gelatina pasma!
Oh! purée de batatas morais!
Oh! cabelos na ventas! oh! carecas!
Ódio aos temperamentos regulares!
Ódio aos relógios musculares! Morte à infâmia!
Ódio à soma! Ódio aos secos e molhados!
Ódio aos sem desfalecimentos nem arrependimentos,
sempiternamene as mesmices convencionais!
De mãos nas costas! Marco eu o compasso! Eia!
Dois a dois! Primeira posição! Marca!
Todos para a Central do meu rancor inebriante!

Ódio e insulto! Ódio e raiva! Ódio  e mais ódio!
Morte ao burguês de giolhos,
Cheirando religião e que não crê em Deus!
Ódio vermelho! Ódio fecundo! Ódio cíclico!
Ódio fundamento,sem perdão!
Fora! Fu! Fora o bom burguês!...

3. Como o autor caracteriza o burguês? 

4. Em dois momentos o poeta caracteriza as “filhas”; primeiro, as filhas da aristocracia; depois, as da burguesia. Comente as duas situações.

5. São características do Modernismo:
(     ) linguagem coloquial; valorização do nacional; tom irônico; liberação absoluta da forma.
(     ) nacionalismo; tom irônico; linguagem retórica; liberdade de composição.
(     ) saudosismo; crítica social; verde-amarelismo; regras rígidas de composição.
(     ) linguagem retórica; saudosismo; nacionalismo; regras rígidas de composição.
(     ) linguagem retórica; liberdade de composição; cientificismo; tom irônico.

6. No início do século XX, várias tendências estéticas surgiram na Europa e influenciaram o Modernismo brasileiro. Faz parte delas o:
(     ) Naturalismo
(     ) Simbolismo
(     ) Futurismo
(     ) Realismo
(     ) Determinismo

Nenhum comentário :

Postar um comentário